DIGESTOR AERÓBICO BIO-TÉRMICO ! D A B T

Um digestor de resíduo ou matéria orgânica que trabalha com insuflação de Ar/Oxigênio e com Transformação provocada pela ação de Bactérias e Estimulantes, reduzindo a 5/10% o volume de resíduo orgânico inicial e produzindo um pó seco e não patogênico que serve como combustível ou adubo.

O DABT é uma máquina que funciona em condições especiais. O meio ambiente em seu interior favorece a total digestão do resíduo orgânico reduzindo o seu  volume substancialmente.
O seu grande diferencial é a velocidade em que ele consome o resíduo orgânico, muito rápida, com o uso de  Bactérias e dos Estimulantes adicionados à massa.

COMO FUNCIONA O DABT

O Resíduo chega na planta e é descarregado numa moega com capacidade de 5 a 8 m³ de capacidade; O material cai sobre um moinho de facas e é transportado por uma rosca transportadora aquecida com vapor ou eletricidade.

Esta rosca entrega o material no corpo do Digestor e ali recebe um jato de Inoculante e outro de Estimulante em um ambiente aquecido com vários estágios de camisas a vapor ocorrendo uma injeção de ar por ventilador na parte superior e  outros na base pressionados por ar comprimido.

O ambiente aquecido é preparado e separado por telas removíveis que retardam o movimento da massa que é acionada por um eixo dotado de vapor (aquecimento) em seu interior e de baixa rotação (5 a 15 rpm) movimentado por moto-redutor.

Ao longo do digestor três/quatro saídas laterais com 6” de diâmetro estão posicionadas e extraem todo o ar que entra no aparelho jogando-o em um sistema de extração composto de um exaustor, um filtro e um condensador …. qualquer gás que eventualmente se forme neste momento será também arrastado pelo mesmo sistema.

Quatro tampas são alocadas na parte superior do digestor, dotadas de junta de borracha e sistema de fechamento com pressão hidráulica.
Também é disponibilizado um sistema de resfriamento para a última camisa garantindo o seu resfriamento e o extermínio das bactérias.

O aparelho é apoiado em um chassis de vigas I com 50 cm de altura e cerca de 2,5 m de largura com proporções confortáveis a seus operadores.

Um sistema de peneira vibratória é colocado fora do aparelho para expulsão de pedaços recicláveis produzindo-se um produto puro ao final antes do empacotamento.

Todo este equipamento é operado por sistema eletrônico de controle, com botoeiras individuais para cada seção, e poderá ser acomodado em qualquer galpão coberto ou mesmo a descoberto.  

O PRODUTO FINAL
CRO – COMBUSTÍVEL DE RESÍDUO ORGÂNICO

Está no Projeto da novaenergia, uma denominação diferente para o produto final de seu protótipo, que será fabricado livre de emissões danosas ao meio ambiente, e assim poderá ser comercializado como combustível ou fertilizante.

O nome por nós atribuído será CRO – COMBUSTIVEL DE RESÍDUO ORGÂNICO.

As unidades industriais da novaenergia fazem a Conversão Bio-Térmica do resíduo orgânico se utilizando de BACTÉRIAS e BIO-ESTIMULANTES, restando ao final do processo apenas 5/10% de material em pó, não patológico e seco (8%).

A matéria Prima utilizada é o Lixo Orgânico, abundante componente do Lixo urbano 50/55%, em dezenas de municípios/cidades brasileiras e cuja disposição em aterros e “lixões” alcança a marca em todo Brasil de aproximadamente 105.000 t por dia (orgânicos).

Alternativamente poderão ser usadas outras Matérias Primas com adição de processos periféricos complementares, mas sem nenhuma alteração do processo básico, que com alguma regulagem, continuará produzindo o combustível ou fertilizante de qualidade.

Esse protótipo será somente para o Lixo Orgânico.

O Processo é Auto Suficiente em Energia Térmica e as Unidades são Modulares podendo Processar cada Módulo de Forma Exotérmica Transferindo à Massa de Resíduo toda esta Energia.

Ao mesmo tempo em que extrai do Lixo a sua Matéria Prima beneficiando o meio ambiente, aumenta a longevidade dos aterros e proporciona a redução de até 45% do volume de Lixo processado que seria aterrado, uma vez que sua operação também extrai, simultaneamente, recicláveis.

O interesse em usar Lixo Urbano para a produção de Combustíveis ou Fertilizantes aumenta na medida em que as tecnologias de conversão térmica melhoram. A necessidade de fontes alternativas de suprimento cresce e a dificuldade das prefeituras, no que concerne aos seus sistemas de aterramento de Lixo, permanece…

A novaenergia irá implantar e explorar um novíssimo segmento industrial dentro do novo conceito “WASTE-TO-ENERGY” onde o Lixo Orgânico e Industrial será considerado uma “commodity”.

No momento e por um bom tempo, as Unidades Industriais da novaenergia irão dispor de matéria prima gratuita ou a muito baixo custo e, algumas vezes, mesmo paga para ser processada.

AS PRINCIPAIS MATÉRIAS PRIMAS

1 – Orgânicos extraídos do Lixo Domiciliar Bruto diariamente coletado e depositado em aterro e, alternativamente, tratado e enviado ao DABT;

2 – Outros resíduos orgânicos de fontes diversas, mas possíveis de serem processados no DABT .

A mesma planta poderá processar em conjunto ou separadamente o Lixo Bruto extraindo deste os orgânicos, também separado (55%),

Este fato aumenta substancialmente a flexibilidade do processo, isto é, aptidão para a produção de CRO a partir destes orgânicos em Unidade Industrial maior com diversos produtos finais.